Segurança com eletricidade: preocupação do contratante e do contratado – NR10

 

Por Pablo Brescia.

Em Tempos de construtoras de empreendimentos imobiliários e de investidores externos, somadas as responsabilidades sociais, o ministério do Trabalho não pode aceitar contratantes e contratados com administração de obra amadora e irregular, causando acidentes com eletricidade.

Embora felizmente existam construtoras e instaladores preocupados com o cuidado na execução dentro das normas regulamentadoras, que adotam os procedimentos necessários da Nr10 para a execução das instalações elétricas do canteiro. Vejamos alguns procedimentos:

- As primeiras providências a serem tomadas em um canteiro de obra de empreendimentos com pelo menos 50.000 m² de área a ser construído – com necessidade de até duas gruas, um elevador de obra por torre e inúmeros outros equipamentos elétricos – é a contratação de um projeto elétrico para esse canteiro. Normalmente, esse projeto fica a cargo do mesmo projetista que desenvolveu as instalações elétricas do empreendimento, pois há casos em que a entrada de energia definitiva é executada já de início para atender ao canteiro de obra.

- Contratação de instaladoras elétricas reconhecidas pelo mercado. É preciso exigir que a instaladora seja inscrita no CREA e forneça a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) do serviço prestado. Além disso, é necessário que a empresa tenha corpo técnico formado por engenheiros e tecnólogos e que os eletricistas locados na obra possuam o treinamento requerido pela NR 10. A contratação é para a execução total das instalações elétricas do empreendimento e o canteiro de obras faz parte do escopo dos serviços contratados.

- Tendo o projeto de instalações elétricas sido desenvolvido em conformidade com a NR 10, com a NBR 5410 e com a NBR 5419, a instaladora deve fornecer todos os materiais necessários para a execução dos serviços com as especificações técnicas que atendam às exigências da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

- Na finalização das instalações elétricas do canteiro, o instalador deve fornecer um laudo de aterramento para cada um dos equipamentos (gruas, guinchos, quadros de força, etc.) com a aferição dos valores de admissibilidade ôhmica do solo, garantindo que os equipamentos estejam protegidos pelo sistema de aterramento de acordo com as recomendações da NBR 5419 e NBR 5410.

Cumpridas todas as etapas anteriores, é possível constatar um produto final de instalações elétricas para canteiro com qualidade superior, com redução dos fatores de risco de acidentes e otimização dos trabalhos sequenciais.

No caso outro procedimento das construtoras que visam a eliminar os riscos de uma instalação elétrica mal executada, é a realização de um treinamento para os seus funcionários em escolas especializadas como a MA Consultoria e Treinamentos LTDA com o intuito de conscientizar o funcionário sobre a necessidade de cumprir suas tarefas com qualidade e com a máxima segurança.  Estão também previstas palestras com profissionais do Serviço Social da Construção Civil sobre segurança do trabalho, utilização de equipamento de proteção individual (EPI), entre outros temas. Observamos que, com todas as ações adotadas pelos envolvidos na execução das instalações elétricas provisórias e com a adoção dos preceitos da NR10, os canteiros de obra tornam-se cada vez mais seguros.

 Entretanto, para que todas as construtoras e instaladoras contribuam para a eliminação dos acidentes com eletricidade, as instalações elétricas provisórias dos canteiros devem se orientar pelas seguintes condições:

• Projeto elétrico de canteiro de obra;

• Contratação de empresas com registro no CREA, com corpo técnico formado por engenheiros e tecnólogos e eletricistas diplomados no curso da NR 10;

• Aplicação de materiais em conformidade com a ABNT;

• Fornecimento de ART pelo executante, inclusive com laudo de aterramento;

• Cumprimento das normas NBR 5410, NBR 5419, NR 18 (item 18.21.11) e observações da concessionária local;

• Manutenção dos quadros de força trancados e circuitos identificados;

• Isolamento dos cabos e distribuição de forma que não obstrua vias de circulação;

• Proteção das instalações contra impacto, intempéries e agentes corrosivos;

• Execução de emendas e derivações que assegurem a resistência mecânica e evitem o contato elétrico;

• Acionamento de máquinas e equipamentos elétricos móveis somente por intermédio de conjunto plugue e tomada;

• Aterramento de estruturas e carcaças de equipamentos elétricos.

 

FONTE: REVISTA O SETOR ELÉTRICO.

Mais notícias

Valid HTML 4.01 Transitional